VirtualBox

Não iria escrever um post apenas para isso, mas fiz questão por se tratar de uma ótima ferramenta! Como descrito em um tópico anterior, eu estava passando por algumas dificuldades no uso do VMWare no Ubuntu 7.04 Feisty Fawn. Pois, desde a atualização de meu sistema para a versão final da distro, simplesmente o VMWare trava totalmente meu ambiente ao executar qualquer máquina virtual! Estava meio sem paciência para procurar o motivo do estranho comportamento. Se alguém souber a causa do problema, por favor, me indique o “caminho das pedras”! Ao invés disso, procurei saber alguma alternativa de virtualização, de preferência livre! Já utilizei o Qemu anteriormente e me decepcionei um pouco com sua performance.

Porém, descobri uma preciosidade! O software VirtualBox! Esse software possui uma versão livre, licenciada sob GPL, para virtualização completa de sistemas operacionais! Não tenho muitos detalhes sobre seu funcionamento ainda, mas já instalei três máquinas virtuais (Microsoft Windows XP Professional, Fedora 7 e IPCop) e todas apresentaram um ótimo desempenho! Obtive um desempenho maior em minha máquina virtual Windows que teve instalado um aplicativo de integração com o ambiente da máquina hospedeira. Infelizmente o aplicativo para integração com o ambiente virtual apenas está disponível para plataforma Microsoft. Mas nada como um pouco de tempo para que a comunidade faça algo melhor! 🙂

A lista a seguir contém algumas das características dessa solução de virtualização. Algumas delas características só estão disponíveis na versão de código fechado do produto innotek VirtualBox.

  • Controladora USB virtual – o VirtualBox permite o uso de dispositivos USB na máquina virtual sem ter drivers específicos na máquina hospedeira.
  • Protocolo de Desktop Remoto (RDP) – o VirtualBox pode servir como um servidor de máquinas virtuais, sendo que os clientes podem ter acesso às máquinas virtuais de qualquer cliente RDP.
  • USB sob RDP – é possível com o VirtualBox utilizar dispositivos USB locais mesmo se a máquina virtual estiver hospedada em um servidor remoto.
  • Pastas compartilhadas – o VirtualBox torna simples a troca de arquivos entre o sistema hospedeiro e o convidado através do compartilhamento de pastas entre os sistemas.

Segue abaixo uma imagem da solução em ação em meu ambiente.

VirtualBox em ação

Mais telas podem ser visualizadas aqui.

Em breve voltarei para postar a próxima aula da LPIC-2 que está saindo do forno!

Até mais! 🙂

5 comentários sobre “VirtualBox

  1. Avatar
    ThigU disse:

    Marília,

    Precisa de ambos! Você fará a instalação do Windows no VirtualBox como se o mesmo fosse outro computador, com hardware próprio inclusive. Até onde eu sei, o VirtualBox não implementa chamadas de sistema diretamente no hardware.

    Tchau procê! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *