Soluções de Backup Eletrônico

Realizar backup manualmente pode ser um processo que demande muito tempo e possua taxa de falhas operacionais muito alta. Para lidar com isso existem diferentes soluções de backup automatizadas. Eventualmente são soluções bem caras (ou não, há opensources!) que permitem o ganho de tempo e maior eficiência no processo.

Vou colocar hoje aqui alguns meios e técnicas de backup eletrônico.

Disk Shadowing

Utilizado para garantir a disponibilidade e alta tolerância a falhas, realiza o processo de duplicação dos dados em diferentes discos utilizando (ou não) de controladora independente. Nessa abordagem, o disco adicional não é visualmente apresentado ao usuário. O usuário e sistema vêem ambos os discos como um só. Porém nas operações de escrita os dados são sempre duplicadas as ações. Essa técnica é adotada no RAID (Redundant Array of Inexpensive Drives).

Essa técnica de backup permite com que as operações de leitura também sejam mais eficientes, já que as operações podem ser distribuídas entre os discos de forma a obter os dados de forma mais ágil.

O ponto negativo dessa técnica é óbvio: para cada disco que a empresa tenha que adquirir e manter, será necessário outro semelhante. Com isso os custos são elevados e podem ser proibitivos dependendo da criticidade do negócio.

Os benefícios, além do que já foi citado, é a maior tolerância em caso de falhas de disco. Principalmente quando falamos de discos mecânicos, que possuem maior risco de falha. E em caso de falha o ambiente pode ser restaurado mais rapidamente.

Electronic Vaulting

Nessa abordagem os dados quando modificados são transmitidos para um site backup. A transmissão dos dados modificados não ocorre em tempo real. A periodicidade com que os dados serão transmitidos será determinado pelos requisitos elaborados no Plano de Continuidade de Negócios (BCP – Business Continuity Plan). O RPO (Recovery Point Objective) que determinará a periodicidade da transmissão do backup. A informação armazenada no site backup poderá ser recuperada em caso de necessidade.

Alguns bancos utilizam dessa solução, onde os dados de transações financeiras dos clientes são armazenadas nas próprias agências e uma cópia de segurança é armazenada nos Data Centers.

Remote Journaling

Nesse método também é realizada a transmissão para um site backup. Porém, ao invés de realizar o envio do dado inteiro, é realizada a transmissão apenas do journal (log) de alteração do dado. Ou seja, são enviados os deltas com as informações de modificações realizadas nos dados. Esses deltas são meta-dados que permitem com que o dado seja reconstruído em caso de falha ou perda do dado original.

Os benefícios desse método é o menor espaço ocupado pelos backups. É eficiente para backup de base de dados. Em caso de falha do banco de dados os dados podem ser recuperados após a sincronização com os deltas.

Esse método não retira a necessidade de eventualmente os dados originais serem copiados. Porém a periodicidade definida pelo RPO do BCP pode ser atendida com menor consumo da infraestrutura (tanto dos links de transmissão como também do armazenamento).

Tape Vaulting

Muitas organizações baseiam suas rotinas de backup em fitas. Eventualmente algumas realizam o processo ainda de forma manual. Ou seja, os dados são gravados nas fitas e transportados por um colaborador para outro local de forma a mantê-los como salvaguarda em caso de emergência.

O porém é que o processo manual é lento e propenso a erros operacionais. De forma a conferir maior agilidade, o processo é automatizado com Electronic Tape Vaulting. Os dados são transmitidos através de canais de comunicação para o site remoto. Dessa forma as etapas de backup são reduzidas.

Replicação de Base de Dados

Geralmente bancos de dados possuem a capacidade de replicação. Dessa forma os dados uma vez que são modificados são automaticamente copiados para outro repositório da organização. Existem duas formas de realizar a replicação: assíncrona e síncrona.

Na replicação assíncrona a base de dados original e seu repositório não estão totalmente sincronizados a todo instante. A sincronização ocorre de acordo com alguma periodicidade que deverá levar em consideração o RPO do BCP.

Na replicação de dados síncrona tanto o repositório principal quanto o repositório secundário estarão sempre sincronizados, conferindo duplicação em tempo real. Naturalmente essa opção confere maior agilidade em caso de emergências, porém possui maior custo.

Por fim…

Entre todos os métodos de backup e sincronização de dados a escolha deverá levar em consideração as necessidades do negócio. Naturalmente as melhores opções, com maior agilidade e garantia de integridade dos dados, serão aquelas que possuem maior complexidade e custo de implantação. A figura a seguir retrata alguns dos métodos descritos conforme as vertentes de custo/complexidade e tempo de recuperação em caso de desastres.

tempo-recuperacao.png
Fonte: CISSP All-in-One Exame Guide 6ª Edition

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *